A DESCREMINAÇÃO DE MINORIAS SEXUAIS


Descriminação sexual!

Um artigo talvez polémico para muitos numa altura em que a constituição Portuguesa aprova o casamento homosexual!

A minoria sexual é representada de várias formas (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Hermafrodita, travestis e Transexuais) e designa-se por Homosexualidade. Definem-se por laços de afectividade por parceiros do mesmo sexo (hermafrodita é “obrigado” a ter comportamentos homosexuais)

Transexuais: Transexual é um indivíduo que possui uma identidade de género oposto ao sexo que possui desde do nascimento. Homens e mulheres transexuais fazem ou pretendem fazer uma transição de seu sexo de nascimento para o sexo oposto (sexo-alvo) com alguma ajuda médica (terapia de resignação de sexo) para o seu corpo.

Travestis: Travesti era originalmente alguém que se vestia com roupas do sexo oposto para se apresentar em shows e espectáculos, mas essa prática passou a designar hoje em dia principalmente os transgénicos, que adquirirem formas femininas através do uso de harmónios femininos e/ou prótese cirúrgica. Puderam ter atracão pelo mesmo sexo ou não.

Bissexual: Pessoa que sente atracção pelos dois sexos.

Gay: Homem homosexual. Aquele que sente atracção por outros homens.

Lésbica: Mulher homosexual. Aquela que sente atracção por outras mulheres.

Hermafrodita: Chama-se hermafrodita (do nome do deus grego Hermafrodita, filho de Hermes e de Afrodite  – respectivamente representantes dos  géneros masculino e feminino) a um ser ou animal em que cada indivíduo possui órgãos sexuais dos dois sexos. Em uma espécie dióico (ou seja, em que normalmente os sexos se encontram em indivíduos separados) podem aparecer indivíduos hermafroditas, mas geralmente por um processo teratológico, ou seja, por uma malformação embrionária.

A homosexualidade existe na natureza por conta do equilíbrio populacional de cada espécie.

Até agora entre vários estudos feitos só não conseguiram provar a existência de homossexualidade na espécie vegetal, por exemplo: as árvores não precisam ser homosexuais porque não existe afectividade e nem prazer sexual entre plantas, muito menos desequilíbrio. Outras espécies de agentes polinizadores se encarregam do serviço de equilibrar o meio. Sem falar que a maioria das plantas são monoicas, isto é, possuem os dois sexos.

A national Geographic, fez um documentário sobre a homosexualidade dos animais, é impressionante, como existe neste planeta uma tão grande variedade de gestos homosexuais entre os animais, ou interpretados como tal.

Sabiam que existem mais de 400 espécies animais neste planeta com comportamentos homosexuais?
Infelizmente estas cenas nunca são mencionadas nos documentários sobre vida animal, este foi mesmo uma excepção. Se alguma vez tiverem oportunidade vejam este fabuloso documentário da National Geographic, pois provoca alguma discórdia entre os veterinários, alguns veterinários alegam que os comportamentos supostamente homosexuais não passam de comportamentos de posse, porque os animais não têm consciência do que é homosexualidade, mas a verdade é que o fazem. Outros já o dizem que são comportamentos naturais da natureza, e que o ser humano é que vê maldade e ou uma ideia distorcida da homosexualidade, porque na realidade não passa de amor, afecto e etc. por outro ser da mesma espécie e sexo.


Sendo assim a existência da discriminação pela homosexualidade não passa de um mero preconceito da espécie humana, por diversas razões, mas a mais forte é derivado há religião.

Estudos feitos, dizem-nos que existe um maior números de pessoas homosexuais do que aqueles que estão assumidos. A razão pelo que não se assumem normalmente é por vergonha, porque a sociedade ainda não se encontra preparada para aceitar a homosexualidade.

Da mesma forma que nos dizem os estudos que uma grande percentagem da espécie humana já sonhou e ou já pensou em possuir relações sexuais com parceiros do mesmo sexo, não o fizeram e ou não o fazem pelas mesmas razões acima indicadas, outros dizem que não o fazem porque têm medo de gostar e de descobrirem uma pessoa que desconheciam neles próprios e porque vai contra aos seus princípios.

Diz João Baptista Pedrosa. Psicólogo e terapeuta

A homosexualidade existe desde que o homem apareceu na face da terra através da evolução das espécies. Se ela existe há milhares de anos é por que é algo saudável e bom para a natureza. Caso contrário já teria sumido, através da selecção natural, pois a natureza elimina tudo àquilo que não tem uma função e não trará benefício para a vida no Universo.

Pessoalmente não tenho nada contra a homosexualidade, para mim são pessoas como todas as outras que optaram por uma situação menos usual, mas que não é menos digna. Nas nossas vidas todos nós temos opções diferentes uns dos outros, em tudo, porquê não aceitar a opção sexual como aceitamos outra coisa qualquer numa pessoa.

Até porque a nossa constituição diz-nos que não podemos discriminar ninguém pela sua opção sexual. Também neste momento já é permitido o casamento homosexual (que foi legalizado, dia 17 de Dezembro de 2009), o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo em Portugal. Contudo, esta lei não se estende para já à adopção de crianças.

O casamento é um direito que assiste a todos os cidadãos. Independentemente da cor, da fisionomia, do seu grau de instrução, etc. E então porque não: independentemente da orientação sexual? Afinal, a orientação sexual de cada um, só a si mesmo diz respeito.

Não é de opinião unânime que a nossa sociedade nunca se livrará de racismos, fobias e descriminações, enquanto não aceitar as diferenças?
Cabe aos Jovens, futuros pais, abrirem a mente à aceitação de todos, porque na sociedade em que vivemos, é demasiado fácil apontar o dedo, não se quer ter trabalho e tentar entender quem não é diferente, mas simplesmente não é igual.

Hoje sou jovem, amanhã serei idoso mas digo: NÃO ao preconceito. É tudo uma questão de se querer abrir as mentes, os braços e os corações ao mundo, para aceitar a diferença. As mentes, porque sem isso, não abrimos mais nada. Os braços, porque temos de nos saber abraçar de (des)igual para (des)igual. Por último os corações porque eles não servem apenas para albergar igualdades, quando no fim de contas: ninguém pode não lucrar com a diferença!

A homosexualidade já exististe desde a antiguidade,  o exemplo da Grécia e de Roma, nesta, a homosexualidade era um facto natural, o homem era iniciado sexualmente por um outro homem. Foi com o cristianismo que a homosexualidade passou a ser uma prática reprovada, repugnante. Hoje a Igreja continua lutando contra o não reconhecimento dessa união.

Até pouco tempo atrás, a homosexualidade era vista como doença, depois afastou-se essa possibilidade considerando-a um distúrbio de comportamento. Sendo que, a medicina, a psicologia, entre outras ciências, ainda não responderam se a homosexualidade é uma opção ou se decorre de origem genética.

Hoje as sociedades estão compreendendo que a homosexualidade é uma condição natural, não apenas observada em todas as civilizações e em todos os tempos, mas também comum nos seres da natureza.

E a adopção por homosexuais? O ministro da Presidência garantiu que o Governo não tem planeado qualquer iniciativa relacionada com a adopção de crianças por casais homossexuais. O semanário «Sol» noticiava no dia 7 de Outubro de 2006 que vários deputados do PS mostraram se favoráveis à adopção de crianças por casais homosexuais, e acreditam que a questão será colocada depois do referendo do aborto. Os deputados ouvidos pelo «Sol» consideram que uma alteração da legislação sobre a adopção deverá ser feita depois do referendo ao aborto e na sequência da discussão do casamento de homosexuais. De acordo com o semanário, os deputados argumentam que os casais que querem adoptar uma criança têm que ser “sólidos” e “bons educadores” e que, por isso, não tem necessariamente a ver com a sua orientação sexual.

Pois é mas já estamos em 2010 e ainda nada foi resolvido, e eu pergunto será melhor uma criança estar a viver numa instituição sem amor nem carinho e por vezes sofrendo de mal tratos e violações, ou viver com um casal homosexual e ter carinho ser bem tratado, poder estudar etc,?

Mais uma vez o preconceito e as mentes fechadas fazem com que a sociedade ainda não esteja preparada para aceitar estas adopções.

DICIONÁRIO:

Dióico: Unissexuado

Teratológico: mal formação

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: